A importância do controle interno na organização


Neste artigo, você entenderá a importância do controle interno nos negócios. Além disso, será explicado o que se entende por controles internos, também conhecido como sistemas e estruturas, e quais são suas finalidades.

Afinal, o que são controles internos?

Os controles internos são os padrões e regras usados ​​pelas empresas para garantir que elas alcancem seus objetivos declarados no mercado. A rentabilidade não só é alcançada, através de altas vendas e satisfação da demanda dos consumidores, mas também do controle de custos e da limitação de gastos excessivos. A administração deve regularmente analisar todos os aspectos de sua empresa e inserir controles internos que irão fortalecer a empresa e aumentar a lucratividade.

O controle interno em uma empresa pode ser feito em diversos âmbitos dentro da organização. Alguns desses ambientes, estão listados abaixo:

1. Ambiente operacional:

Os controles internos ajudam a promover operações diárias fortes que produzem produtos e serviços de alta qualidade ao menor custo possível. Limitar inventário excessivo, altos custos de equipamentos e utilitários excessivos garantem que os custos operacionais sejam mantidos dentro de um orçamento razoável. Os gerentes garantem que, à medida que os bens e serviços são produzidos, máquinas ou outros equipamentos são adequadamente utilizados, de modo que quaisquer avarias podem ser evitadas. O uso indevido dos ativos da empresa pode criar tempo de inatividade se os produtos tiverem que ser reproduzidos devido a defeitos do mesmo.

2. Avaliação de risco:

A avaliação de risco é um controle interno importante. Toda decisão comercial vem com certo risco; evitar ou mitigar esse risco é conseguido através de controles internos fortes. Os controles que atenuam o risco podem incluir o limite dos níveis de dívida utilizados para financiar operações ou aquisições, garantindo o reinvestimento de caixa no negócio ou diretrizes para evitar títulos de risco ao gerar dinheiro de atividades de investimento. Esses tipos de controles internos impedem o gerenciamento executivo de tomar decisões potencialmente perigosas que teriam efeitos a longo prazo em uma empresa.

3. Políticas da empresa:

As empresas usam políticas para garantir um ambiente de negócios seguro e lucrativo. Essas políticas são controles internos que ajudam a gestão em áreas como recursos humanos, conscientização da comunidade e relações entre empresas. As empresas informam os funcionários desses controles internos para garantir que a reputação da empresa não seja manchada como resultado de funcionários com formação inadequada. As empresas de capital aberto têm fortes políticas de controle interno para garantir que os investidores não sejam indevidamente influenciados por comunicações informais fora dos padrões normais da empresa.

4.Informação financeira:

Os controles internos mais importantes costumam presidir a informação financeira de uma empresa. Reportar incorretamente informações financeiras é considerada fraude e rapidamente irá causar problemas. As empresas geralmente desenvolvem controles internos para obter informações financeiras e, em seguida, testá-los periodicamente para garantir que sejam salvaguardas adequadas. As empresas de capital aberto são obrigadas a ter auditores externos testando seus controles internos como parte dos regulamentos federais Sarbanes-Oxley aprovados em 2002.

5. Medições de desempenho:

Muitas empresas vinculam controles internos a avaliações de desempenho para gerentes de nível médio e outros funcionários. Este estilo de avaliação de desempenho permite às empresas uma oportunidade de educar e revisar controles internos com funcionários regularmente. Isso ensina aos funcionários o valor de alcançar objetivos, através da política da empresa, garantindo maior rentabilidade para o negócio.

No entanto, é preciso dosar o nível de controle dentro de uma organização, visto que o uso exagerado desta ferramenta pode causar malefícios para a empresa. Nas corporações altamente controladas, as primeiras vítimas são a criatividade e a iniciativa. Os funcionários farão coisas da maneira que sempre fizeram e não vão pensar fora da caixa. Para que a criatividade e iniciativa estejam presentes, é preciso haver um certo grau de liberdade para os funcionários se expressarem.

Portanto, a política de controle interno dentro da organização é algo imprescindível para o sucesso de uma empresa. Porém, é preciso manter um equilíbrio, para que não se torne prejudicial para o negócio.

Sobre o autor: Victor Medeiros é graduando de Engenharia de Produção na faculdade Ibmec-RJ e atua como consultor de projetos na empresa Ibmec Jr.


374 visualizações
Unidade Centro

Av. Pres Wilson, 118 - 9º Andar

Centro, Rio de Janeiro

CEP: 20030-020

Unidade Barra 

Av. Armando Lombardi, 940

Barra da Tijuca, Rio de Janeiro

CEP: 22630-020

Telefone:

(21) 99728-6999

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco

© 2020 Copyright Ibmec Jr Consultoria Empresarial - Todos os direitos reservados.

CNPJ: 01.419.692/0001-70  |  Empresa sem fins lucrativos